A Lua, O Papa, O Diabo e uma Nova Consciência

Por Ricardo Pereira

Um elemento importante e figura bem vísivel no Carnaval é a instituição religiosa, muito bem representada no Tarô pelo arcano maior o “O Papa” denominado, também, em outros baralhos de “O Sacerdote”, “O Hierofante”, “O Sumo Sacerdote”, “O Pontífice” e, até, de “Não-materialidade”, como no Tarô Surrealista de Osho, ou no “Osho Zen Tarot”.

A presença e a força da Igreja ou da Religião e, também, do seu principal concorrente, “O Diabo” , no Carnaval se faz pela adesão, de muitos, aos denominados retiros espirituais e /ou aos eventos de cunhos religioso e espiritualista em geral, que podem ser organizados tanto por quem segue uma orientação Cristã, até os que são preparados sob pontos de vista ecumênicos e transdiciplinares, como o “Encontro da Nova Consciência”, que está sendo realizado em sua 18ª edição, em Campina Grande, no Estado da Paraíba, em meio a grandes desafios, diga-se de passagem, bem aos moldes de alguns dos significados nada auspiciosos do arcano maior de número 18, “A Lua”.

O caráter desafiador desse evento na Paraíba emerge de sua maior finalidade, que é a de reunir um número significativo de adeptos ao “Nova Consciência”, sob à luz de uma extensa grade de programação, que contempla desde shows artísticos, palestras sobre ciência e espiritualidade, até os mais diversos debates e cursos sobre vários assuntos de importância, independentemente das orientações religiosas ou espirituais de seus participantes, em uma verdeira prova de que nesse plano da matéria alguns poucos estão, realmente, bem conscientes de que “somos todos um”. Clique aqui e, também, aqui, para conhecer um pouco do 18º Encontro da Nova Consciência.

Desse modo, nele se reúnem católicos, evangélicos, cientistas, umbandistas, artistas, candomblecistas, espíritas, políticos, budistas, terapeutas holísticos, ciganos, tarólogos, judeus, cartomantes, reikianos, hare krishnas, bruxos, ateus, xamanistas e espiritualistas em geral, em um verdadeiro exemplo de que se pode e deve, em um clima dinâmico de diversidade, harmonia, paz, reflexão e muita informação, se reunir, em um grande ambiente de liberdade, plural e ecumênico, praticantes de diversas crenças religiosas e espirituais, adeptos de diferentes filosofias de vida, construtores da ciência e simpatizantes do holismo, todos reunidos em prol da construção de uma “Nova Consciência”, de uma nova ordem humana e espiritual, na busca e encontro de uma “Cidadania Planetária: o Caminho da Paz”, como sugere o tema desse evento, nesse ano de 2009.

O caráter caótico de incerteza, de se tentar diferenciar o que é real do que é imaginário, bem ao estilo do atu “A Lua”, foi vivenciado esse ano pelos organizadores do “Nova Consciência”. Esses, tiveram de driblar até mesmo a queda do Governador do Estado da Paraíba, que iria conceder importante apóio econômico ao evento, sendo a verba bloqueada, segundo a mídia paraíbana, por ordem do atual Governador.

Mas, nada, que o poder de transformação e superação desse arcano maior não pudesse manifestar. Com tudo isso, o evento foi aberto e está e continua ocorrendo, como se diz por aqui, “por cima de pau e pedra”, nas lindas e acaloradas terras da Rainha da Borborema. Como disse Nei Naiff, no livro 2, 1ª Edição, de sua trilogia “Estudos Completos de Tarô”, p. 114: “Não tenha medo da lua, ela é mãe, não é madastra”.

Como se já não bastasse esse cenário, um outro um tanto maçante e perturbador, digno, também, de um “A Lua”, se configura pela participação de uns poucos que ficam do lado de fora desse evento, que ou por uma questão de ignorância ou pelo fanatismo (como numa fusão dos atributos simbólicos do “O Papa” com “O Diabo”), procuram minar o “Nova Consciência”, devaneando e tentanto incutir à opinião pública, que esse, não passa de uma espécie de obra “pagã”, simples e pura, gerada pelo “O Diabo”.

Nesse contexto, existem aqueles mais intolerantes, fanáticos em suas crenças, em suas religiões, reunindo-se em bandos para incentivar e disseminar o ódio e a intolerância às pessoas que não congregam com suas crenças, idéias, princípios dogmáticos e visões um tanto deturpadas sobre Deus, sem considerar a pluralidade espiritual humana e a importância histórico-social das demais religiões e práticas de culto.

Dessa forma, esses cegos devotos, pretendem impor aos seus contrários, com base em seus preconceitos e sem respeito às diferenças e vontade alheias, as suas falhas e pitorescas verdades.

Nesse sentido, vemos o configurar-se, desde as primeiras edições do “Nova Consciência”, nesse período carnavalesco em Campina Grande, de uma espécie de “guerra santa” entre os partipantes racionais de eventos que seguem uma linha ecumênica (arma utilizada, segundo alguns fanáticos religiosos, pelo “O Diabo”, que pretende, através dele, retirar das ovelhas desgarradas a luz do entendimento sobre as suas crenças e verdades), que fundamentados em uma ideologia universal de liberdade de comportamentos, crenças e religiões, são obrigados a se confrontarem com aqueles que se auto-denominam de “Conscientes Cristãos”, que tentam, bem ao estilo dos que atuam sob à égide dos atributos tarológicos do “O Papa”, impor uma ordem dogmática, fanática e uma visão de um grupo religioso, historicamente, bem particular, gerando conflitos , divergências e, às vezes, um clima de insegurança.

Um exemplo atual, factível e bem real desse fenômeno pode ser analisado na matéria publicada hoje, 23 de fevereiro de 2009, no “Jornal Paraíba1”, online, que trata de uma acusação de um representante do grupo religioso que se auto-denomina de “Amigos da Torá”, que realizava, em paralelo ao evento do “Nova Consciência” e aos demais, um outro evento que já está em sua terceira edição, contra adeptos do “Consciência Cristã” ou “de um grupo de aproximadamente 10 jovens usando roupas pretas e com cortes de cabelo no estilo punk”, que, segundo tal acusador, esses por meio de um discurso contrário a qualquer outro tipo de manifestação de credo, incentivam a intolerância e ódio religiosos. Clique aqui para ler matéria!

Nesse “imbróglio” citado por esse “Jornal da Paraíba1” me ficaram algumas dúvidas:

1 – foi um grupo de cristãos evangélicos que invadiu o evento dos “Amigos da Torá” ou um grupo de punks? 2 – Ou foi um grupo de punks evangélicos? Ou foi um grupo de punks “nazistas?” 3 – Ou o grupo que causou tal confusão não pertencia a nenhum tipo de “ordem religiosa”, era um bando de desocupados adeptos do corte de cabelo estilo punk e para chamarem mais atenção, ainda, da mídia e dos participantes, sortearam os “Amigos da Torá” para atingirem esse objetivo?

Outros maus exemplos desse tipo, envolvendo esse e outros grupos de fanáticos religiosos, que se rebelam contra pessoas que participam do “Nova Consciência”, também fazem parte de arquivos históricos recentes e remotos dos jornais de circulação nacional, da internet e dos organizadores desse encontro, não podendo passarem desapercebidos ou terem o apóio de uma sociedade, que do ponto de vista constitucional, possui plena liberdade de ir, vir e, sobretudo, de inclinação e de prática religiosa.

E, por falar em intolerância regada a um tantinho de indiferença às visões e fatos históricos importantes, em minhas navegadas pela internet, enquanto escrevia esse artigo, deparei-me com essa fotografia do sarcástico Carnaval de Dusseldorf, Alemanha, publicado no site “Uol Entretenimento”, aonde se vê, em um carro alegórico, a figura caricaturesca do papa Bento XVI apertando a mão do bispo Richard WilliamSon, caracterizado de diabo, em uma alusão, como se tivesse o papa apoiado, de fato, a atitude desse bispo de ter se pronunciado à imprensa internacional, afirmando, com toda a sua oratória inglesa, que o holocausto nunca existiu, assim como no regime nazista nunca houveram câmaras de gás. É possível que Bento XVI não tenha apoiado a tal disparate do excomungado WilliamSon, fato esse confirmado por ter sido essa figura obrigada, recentemente, pelo Vaticano a retirar, junto aos meios de comunicação, todas as suas declarações a respeito desse assunto tão importante da História Universal. Clique aqui e veja a imagem em ótima resolução no álbum do site e aqui para ver matéria sobre a posição do vaticano sobre esse bispo.

De qualquer forma, voltando ao “Nova Consciência”, só temos que desejar e vibrar pelo sucesso dessa versão nº 18 desse encontro e, dar início a um trabalho com vistas a materialização, em 2010, de uma edição de número 19 desse Encontro, sob os promissores auspícios e energia do arcano “O Sol”, com todo o esplendor, plenitude, harmonia, luz, consciência, pessoas brilhantes de várias linhas de pensamento, crenças e conhecimentos diversos, glória, sucesso amplo e total. Que todos os deuses e deusas dos mais diversos panteões conspirem e digam em um só coro: AMÉM!

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS E ICONOGRÁFICAS

NAIFF, Nei. Tarô, vida e destino. V. 2: Estudos completos do Tarô. 1ª ed. São Paulo: Elevação, 2001.

CALDAS, Phelipe. Líder judeu acusa Consciência Cristã de intolerância religiosa. Jornal Paraiba1 [online], 23 fev. 2009.

VATICANO exige desculpas de bispo. Rev. Veja [online], 04 fev. 2009.

“O Papa”, Oswald Wirth Tarot.

“O Diabo”, Fey Tarot.

“Banner do 18º Encontro da Nova Consciência”, Campina Grande, Paraíba, de 20 a 24 de fev. de 2009.

“A Lua”, Mediaval Scapini Tarot.

“Caricaturas do bispo Richard Williamsom e papa Bento XVI, fotografia do Carnaval de Dusseldorf, Alemanha, 2009, disponibilizada no site “Uol Entretenimento”.