Bebê “raptado” ou um caso para o Lenormand e para o Sibilla Della Zingara

Por Ricardo Pereira

 

No dia 25 de novembro de 2013 foi divulgado, no site “Estado de Minas Notícias” http://www.em.com.br , o caso de um bebê, do sexo masculino, que fora “raptado” em Belo Horizonte – BH. Nas referências bibliográficas desse artigo tem os links para esse caso.

Conforme relatado no site de notícias mineiro, o rapto ocorrera no centro de BH no sábado passado, dia 23 de novembro de 2013, por volta das 14horas.

A primeira versão do caso divulgada no site citado destaca que a mãe da criança fora ao centro da cidade comprar um presente para a cunhada, momento no qual fora atacada por um casal, que estava acompanhado de um outro homem, os quais “raptaram” o bebê do colo da mãe e fugiram. Ninguém viu nada.

No dia 25 de novembro de 2013, quase no fim da tarde, uma colega taróloga divulgou o link sobre esse caso no Facebook. Após ler a matéria lancei mão do Lenormand e do Sibilla Della Zingara, com os fins de estudo e exercício oraculares, averiguando pelas cartas a situação do caso e, principalmente, identificar se o bebê estava em segurança.

Após ter feito a consulta às cartas, avisei para a minha colega taróloga, inclusive lhe confirmando que, de acordo com os oráculos, o bebê continuava bem e em segurança.

Vale salientar,  que tendo em vista as circunstâncias apresentadas na versão inicial do caso divulgadas no site, à primeira vista as mensagens de algumas cartas me deixaram meio desconfiado da estória que acabara de ler, principalmente em relação à versão da mãe, como se algo estivesse mal contado nessa situação toda. Tanto que foi confirmado, pela mídia e pela polícia, que não houve sequestro, mas que a mãe doou o bebê, por vontade própria, para as pessoas do Rio de Janeiro envolvidas no caso.

Pouco menos ou mais de uns quinze minutos depois de ter realizado a consulta  nos foi revelado por outra colega taróloga que o caso já estava resolvido e que o bebê tinha sido encontrado. No momento em que fiz a consulta eu não sabia desse fato, pois fiz a consulta aos oráculos com base na notícia que a primeira amiga taróloga tinha divulgado no Facebook, a qual destacava o suposto sequestro ou desaparecimento do bebê.

Para analisar cartomanticamente o caso,  utilizei-me de meu método de tiragem denominado de  “Oufago ou OFA® (Outrora; Fato; Agora)”, que possui a finalidade de investigar o estado de algo ou de alguém no momento da consulta (Agora), observar o que lhe ocorreu no dia ou data anterior à data da consulta (Outrora) e verificar o fato (Fato) ocorrido em determinada data ou dia em suas circunstâncias reais, ou seja, o mais próximo possível da verdade.

A casa “Fato” é uma casa muito importante, a qual merece uma atenção especial do cartomante pois traduz a ordem dos fatos em sua verossimilidade. É a partir dessa casa que se faz a associação  das mensagens das cartas nela posicionadas em relação às que estão nas outras casas, ligando tudo ao fato real, ou seja, buscando-se a revelação da verdade traduzida pelas cartas que nela se apresentam, considerando-se as mensagens nas demais casas.

Às vezes, para obter a resposta para uma questão me utilizo de dois ou mais oráculos ao mesmo tempo. NÃO para confirmar a previsão de um com a do o outro, mas com a intenção primordial de saber exatamente o que eles têm a dizer sobre uma mesma pergunta pontualmente no momento da consulta e, claro, com o uso de um mesmo método de tiragem. Os oráculos são abertos ao mesmo tempo, esse é o diferencial.

Para esse caso especificamente elaborei a seguinte questão: “como se encontra o bebê de Rosemary?”

As cartas no método Oufago ou OFA®  foram dispostas conforme figura abaixo:

Método Oufago ou OFA®
By Ricardo Pereira, 2010

 Os oráculos, responderam-me:

(Casa 1 – Outrora – dia 24/11/2013 – Dia anterior à consulta e posterior ao fato ocorrido)

Estabeleci essa data exatamente para saber por meio dos oráculos como esteve o bebê no dia anterior à consulta e no dia posterior ao seu suposto “sequestro”.

Despontaram nessa casa a carta Cegonha, do baralho Lenormand e a carta Frivolidade do Sibilla Della Zingara.

Cegonha e Frivolidade

A carta Cegonha do Lenormand, além de destacar aquele tipo de insegurança que motiva alguém a se guiar pela opinião alheia, ainda denota enfaticamente mudança de local, mudança geográfica ou de situação ou mobilidade. De fato, a carta confirmou que o bebê fora levado de BH para o Rio de Janeiro, provavelmente nesse dia.

A carta Frivolidade do Sibilla Della Zingara, que  denota descompromisso e ações realizadas por pessoas não confiáveis, previra que o bebê fora vítima, nesse dia, de um ato irresponsável. A iconografia da carta destaca o símbolo da borboleta, o qual denota mudanças, incluindo aqui mudanças geográficas ou deslocamentos. Decerto que essa carta previu que realmente o bebê fora doado irresponsavelmente pela mãe  a estranhos, sendo deslocado nesse dia de BH para o Rio de Janeiro.

Incrível e interessante, que nessa casa 1 se revelaram duas cartas, de oráculos distintos,  as quais apresentam alguns significados similares,  que evidentemente respondem com precisão o que essa posição do método demanda de resposta para a questão formulada.

(Casa 2 – Fato – dia 23/11/2013 – dia do fato ou do acontecimento) 

Despontaram nessa casa a carta Raposa, do baralho Lenormand e a carta Sacerdote do Sibilla Della Zingara, invertida.

Raposa e Sacerdote (Invertida)

Ao ler as informações  divulgadas pelo site mineiro, percebi,  – observando as cartas que surgiram nessa casa -, que algo estava meio esquisito e mal contado sobre a verdade dos fatos. Aliás detectei de cara, ao verificar as cartas da casa 2, que algo fora omitido ou contado de forma mentirosa sobre o que acontecera realmente no dia do “sequestro” da criança.

De fato a carta da Raposa, do Lenormand, ratificou  que houve algum tipo de ação vil, desonesta ou inescrupulosa em dado episódio, destacando egoísmo, frieza comportamental, farsa, mentiras ardilosas, embustes e tentativas de engano, muitas vezes envolvendo casos de polícia ou de ilegalidade. De fato, a mãe da criança inventou para o pai do bebê e para a polícia que ele havia sido raptado, sendo a mentira descoberta logo em seguida.

A carta Sacerdote, do Sibilla Della Zingara, quando expressa suas mensagens em posição “normal” denota ações realizadas dentro de princípios morais e legais. Só que nessa tiragem ela surgiu invertida. Ao inverter-se, sugere mentiras, irresponsabilidades, ilegalidades,  culpas assumidas, arrependimentos e possível perda posterior da liberdade. Realmente, a mãe do bebê assumiu o crime e está presa.

Aqui também as cartas dos dois oráculos entram em sintonia de atributos, respondendo seguramente o que demanda a casa e de acordo com o que lhes foi questionado.

(Casa 3 – Agora – dia 25/11/2013 – dia da consulta)

Vejam, a pergunta efetivada ao mesmo tempo aos oráculos, durante a consulta, nessa data, foi: “como se encontra o bebê de Rosemary?” Então, para a resposta principal buscada na consulta surgiram, nessa casa 3, a carta Criança, do baralho Lenormand e a carta Esposa, Mulher Casada ou “Mulher com Criança no Colo”, do Sibilla Della Zingara.

Criança e Mulher com Criança no Colo

A carta da Criança representa a infância, a adolescência, a imaturidade, a ingenuidade e os comportamentos infantis, inconsequentes e irresponsáveis.

Por outro lado, denota, em muitos casos, a alegria em família devido a chegada de uma criança, a qual é tratada com carinho, dedicação e com os devidos cuidados.

Desse modo, antevi na consulta aos oráculos que o bebê estava bem e sendo cuidado adequadamente,  previsão oracular que divulguei para as minhas colegas tarólogas no Facebook em tempo real.

A carta do Sibilla Della Zingara que respondeu a pergunta nessa casa foi a da Esposa ou da Mulher com Criança no Colo, a qual se sintonizou e corroborou com a antevisão da carta Criança do Lenormand. Essa carta, Esposa, denota maternidade, amor, cuidado e proteção, ou seja, tudo isso mais especificamente, nesse caso, sendo demonstrado por qualquer pessoa que buscasse cumprir o papel de mãe.

Ao ser encontrado no Rio de Janeiro, o bebê estava sob os cuidados de uma casal de adolescentes. O site da notícia destaca sobre o relato do pai da criança, após resgatá-la:

“Ele foi para o Rio de Janeiro para buscar o bebê e chegou na capital mineira por volta das 0h desta terça-feira. Segundo ele, o filho não tinha nenhum machucado. “A moça que recebeu ele cuidou como se fosse uma mãe mesmo, pois ele está muito bem”, contou. (VALE e FERREIRA, 26 nov. 2013).

Tal depoimento do pai do bebê confirmou as previsões dos dois oráculos  em relação ao estado do bebê durante consulta.

Importante observar, que as casas do meu método Ofaga ou OFA dialogam, interagem, complementam-se,  sustentando o linguajar simbólico, mensagens e os argumentos nelas contidos, deixando a interpretação coerente aos fatos e repleta de sentidos objetivos.

Aos meus leitores em geral, deixo-lhes o meu muito obrigado pela atenção e carinho a mim dispensados, hoje e sempre.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BARALHO Sibilla Della Zingara. Editora Lo Scarabeo.

MATTA, Rosalinda da. Baralho de cartas ciganas inspirado no Lenormand. Editora Artha.

VALE, João Henrique do; LEMOS,Thiago; WERNECK, Gustavo. Bebê desaparecido em BH é encontrado no RJ; mãe confessou doação de garoto. (Publicado em: 25 nov. 2013). Disponível em: http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2013/11/25/interna_gerais,473473/bebe-desaparecido-em-bh-e-encontrado-no-rj-mae-confessou-doacao-de-garoto.shtml . Acesso: 27 nov. 2013.

VALE, João Henrique do; FERREIRA, Juliana. Mãe que doou bebê demonstra frieza ao ver o filho; pai diz que ela pode estar doente. (Publicado em: 26 nov. 2013). Disponível em:  http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2013/11/26/interna_gerais,473789/mae-que-doou-bebe-demonstra-frieza-ao-ver-o-filho-pai-diz-que-ela-pode-estar-doente.shtml . Acesso: 27 nov. 2013.

Licença Creative Commons
Esta obra Bebê raptado ou um caso para o Lenormand e para o Sibilla Della Zingara, de Ricardo Pereira, está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial – Sem Derivados 3.0 Brasil.